STF só julgará inquérito sobre Temer após conclusão da perícia - Pastor Reginaldo Silva

O dia mais bonito de nossas vidas!!!

É BOM ESTÁ PERTO DE QUEM TRANSMITE O BEM!!!

Versículos em destaque

Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal.
Mateus 6:34
Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém separe".
Mateus 19:6
"Não façam cortes no corpo por causa dos mortos nem tatuagens em vocês mesmos. Eu sou o Senhor.
Levítico 19:28

segunda-feira, 22 de maio de 2017

STF só julgará inquérito sobre Temer após conclusão da perícia

Investigação apura se o presidente cometeu os crimes de corrupção passiva, obstrução da Justiça e organização criminosa

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, durante sessão na Suprema Corte em Brasília - 01/02/2017 (Adriano Machado/Reuters)
_________________________________________________________________________________


A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, decidiu nesta segunda-feira que o pedido de suspensão do inquérito aberto contra o presidente Michel Temer só será julgado após a conclusão da perícia no áudio que mostra conversa entre Temer e o dono da JBS e delator premiado, Joesley Bastista.

Cármen manteve a decisão do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato na Corte, que no último sábado decidiu levar a plenário a ação movida pela defesa de Temer, “assim que concluída e juntada aos autos a perícia”.
Diante da gravidade do caso, Fachin pediu à Cármen Lúcia que o STF analisasse o processo “na sessão mais imediata possível”. Por isso, havia a expectativa de que o pedido seria apreciado nesta quarta-feira, dia em que o colegiado máximo costuma se reunir. O julgamento, no entanto, deve acontecer só na próxima semana, uma vez que o aparelho que gravou a conversa se encontra no exterior e só deve ser entregue à Polícia Federal nesta terça-feira.
O inquérito contra Temer apura os crimes de corrupção passivaobstrução da Justiça e organização criminosa – o presidente nega todos os delitos.
Fonte: veja.abril.com.br/brasil