Três alunos dos Pupilos dos Exército acusados por agressões - Pastor Reginaldo Silva

O dia mais bonito de nossas vidas!!!

É BOM ESTÁ PERTO DE QUEM TRANSMITE O BEM!!!

Versículos em destaque

Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal.
Mateus 6:34
Assim, eles já não são dois, mas sim uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, ninguém separe".
Mateus 19:6
"Não façam cortes no corpo por causa dos mortos nem tatuagens em vocês mesmos. Eu sou o Senhor.
Levítico 19:28

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Três alunos dos Pupilos dos Exército acusados por agressões


FACEBOOK/PUPILOS DO EXÉRCITO
.................................................................................................................................................................

Ministério Público imputa crime de ofensa à integridade física qualificada a alunos que terão agredido colegas mais novos
O Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa acusou três alunos do colégio Pupilos do Exército pelo crime de ofensa à integridade física qualificada sobre oito colegas mais novos. Segundo o Ministério Público, os suspeitos "no período compreendido entre Setembro e 03 de Dezembro de 2014, aproveitando o ascendente que possuíam sobre os alunos do 6.º ano do mesmo estabelecimento de ensino, em virtude de terem sido investidos pela organização interna do estabelecimento na qualidade de comandantes de companhia e de pelotão, agrediram oito colegas, com idades entre os 10 e 11 anos, provocando-lhes lesões"
Esta investigação nasceu de um conjunto de queixas que chegaram ao Ministério Público, relatando agressões no interior dos Pupilos do Exército. Porém, de acordo com informações recolhidas pelo DN, algumas foram arquivadas.
Já esta semana, o Ministério Público abriu um novo inquérito por suspeitas de agressões nos Pupilos do Exército. Uma criança de 10 anos terá sido alvo de "agressões bárbaras" ao longo de um mês, havendo fotografias que ilustram "marcas de golpes com cinto e queimaduras nos braços".
O aluno teve que ir às urgências hospitalares por "duas vezes", em virtude das agressões de que foi alvo. A criança explicou aos pais que as agressões resultaram de "praxes", tendo os progenitores participado o caso à polícia e à direção do colégio.
Fonte: http://www.dn.pt/portugal
OLHO DE IPOJUCA - MUNDO